AS PRAIAS DE PORTUGAL Guia do banhista e do viajante . -Conforme a 1ª edição (1876)

AS PRAIAS DE PORTUGAL Guia do banhista e do viajante . -Conforme a 1ª edição (1876) - 35741332

 21 Jun, 11:37

9 €

AS PRAIAS DE PORTUGAL Guia do banhista e do viajante . -Conforme a 1ª edição (1876)

AS PRAIAS DE PORTUGAL Guia do banhista e do viajante . -Conforme a 1ª edição (1876) - 35741332

21 Jun, 11:37

9 €

AS PRAIAS DE PORTUGAL
Guia do banhista e do viajante . -Conforme a 1 edição (1876)
Ramalho Ortigão
Edição: Frenesi 2002
Páginas: 185
Dimensões: 190x130 mm.

Exemplar em muito estado. Tem uma discreta rubrica na folha de rosto.
PREÇO: 9.00EUR
PORTES DE ENVIO INCLUÍDOS, em Correio Normal/Editorial, válido enquanto esta modalidade for acessível a particulares.
Envio em Correio Registado acresce a taxa em vigor.


SINOPSE
Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura.

Este é um guia da costa portuguesa, em que Ramalho Ortigão explora as características naturais das praias e suas águas, e fornece preciosa informação social, cultural e histórica. A escrita é tão versátil e envolvente que num mesmo capítulo se fala de carapaus e dOs Lusíadas, de pianos e mulheres gordas, da toilette e do pinhal, dos piqueniques, das tribos, das casas e dos hotéis.
Ainda que o universo balnear de hoje seja muito diferente do de então - feito de toldos brancos, véus enfunados e leques de senhoras (o livro tem a primeira publicação em 1876) -, este é um guia enriquecedor que nos proporciona tudo aquilo que constitui umas férias retemperadoras: a frescura marítima, a observação da paisagem, o descanso e a deambulação, o contacto e conhecimento com habitantes locais, a comida e a diversão mundana.

O viajante sente ao entrar na Figueira, no tempo dos banhos, uma impressão semelhante à que se experimenta penetrando nos gerais da universidade em dia lectivo. É a impressão do lente, do pedagogo, da aula. Tem-se uma espécie de terror mesclado de tédio. Há uma atmosfera especial de pedanteria, de rigor e de troça. Aspira-se vagamente o cheiro dos sapatos e das velhas batinas gordurosas na aula quente e fechada. As fisionomias dos doutores, de uma grave expressão enfática, guindada e oca, as cabeleiras dos estudantes aparatosamente penteadas, os ares dogmáticos de uns, misturados com os ares patuscos de outros, um tom geral de prelecção ou de desfrute, uma tonalidade especialmente afectada na pronunciação, um desgarre peculiar de gestos e de maneiras: tais são as principais notas que caracterizam a população de Coimbra.
[]
A Figueira participa do carácter que tem Coimbra, um pouco para pior, porque os estudantes que frequentam a Figueira são ordinariamente os piores, os mais broncos, os que não saem de Coimbra, aqueles em quem os efeitos do vício universitário se desenham mais profundamente. Estes senhores com o seu afectado desdém, com o seu mau ar de críticos, com o seu espírito de troça, e os srs. professores com a sua sobranceria catedrática, constituem o grande senão da sociedade da Figueira, sobre a qual destingem a sua cor especial.
E, não obstante, nenhuma outra praia em Portugal possui as condições desta para tornar agradável a estação dos banhos.
Batida do grande mar, tendo à direita a bonançosa baía de Buarcos e à esquerda os rochedos em que assenta o castelo de Santa Catarina, que defende a foz do Mondego, a vila da Figueira oferece aos banhistas incomparáveis condições.

V. Oliveira

Anunciante desde Mai. 2017
Verificado com
Coimbra
Online agora