Contos da Praia - Lobo dos Santos - Portes Grátis - Personalizado

Contos da Praia - Lobo dos Santos - Portes Grátis - Personalizado - 36847634

 5 Ago, 14:03

3 €

Contos da Praia - Lobo dos Santos - Portes Grátis - Personalizado

Contos da Praia - Lobo dos Santos - Portes Grátis - Personalizado - 36847634

5 Ago, 14:03

3 €

Livro novo, nunca manuseado



Eu conheço o autor, há a possibilidade de lhe pedir um autógrafo no nome que quiserem.

Pode ser um presente de aniversário... (Podiam pôr a idade, digo, a data :) deste aniversário uma prenda verdadeiramente atenciosa e personalizada)

Neste caso, pagam o livro, garantindo que o exemplar é vosso, e têm que me dar uns dias para falar com o autor



Envio por correio com oferta dos portes



Posso entregar em mão



Veja os meus outros negócios - aceito TROCAS



Lobo dos Santos nasceu perto de Luanda, mas passou grande parte da sua vida em Portugal. O titulo da obra reflete a sua admiração pelas paisagens paradisíacas que conheceu neste país. Não poderá dizer que detesta a montanha, simplesmente, habituou-se a visitar o ambiente marítimo.

O mar sempre foi motivo de força e orgulho para Portugal e os portugueses e é o povo português o personagem central dos seus escritos. Todos os contos focam-se nos tempos modernos, não recua cem anos, e no fundo pretende divertir, fazer o leitor passar um tempo de leitura agradável, que sinta que vale a pena guardar o livro na estante para reler mais tarde. Toda a escrita foi pensada de maneira a ser leve e divertida sem perder o rigor da língua portuguesa. Haverá uma ou outra construção frásica que se perderá na tradução.

São 25 contos em 206 páginas como se pode constatar no índice apresentado na imagem. No final, o autor presenteia-nos com uma poesia; não querendo fazer carreira como poeta decidiu inclui-la porque a reação dos leitores foi positiva.

Considerado por muitos como um autor promitente que está ao nível de um Dostoievski, um Tolstoi, um José Saramago, quem sabe mesmo um José Afonso, um Miguel Torga ou um Gabriel Garcia Marquez, não ganhou o Nobel, mas por outro lado, esses autores aparecem com regularidade em edições de jornal, porque não também Lobo dos Santos? Tomemos o exemplo da coleção mil folhas do público ou os contos de Verão do DN (diário de notícias). O que fará um escritor ser considerado como tal senão o facto de a sua obra pretender resistir ao passar do tempo?

Será que Lobo dos Santos consegue este objetivo? Há um conto que tem aparência de ficção científica, mas que no fim perguntamos se não poderia ter lugar num cenário aqui mais próximo, e o tempo, será do futuro que fala?

Não podemos dizer que os elogios são furtado, antes pelo contrário. Não será por falta de desejo de igualar aquela escrita com laivos de filosofia e reflexão sobre os temas de hoje: ser solidário, a amizade, o amor pelo próximo, a paz (embora nesse conto a refira pelo seu oposto: a guerra, sentida através das suas vitimas). A vida será a preto e branco ou podemos contá-la em tons de cinzento, quem sabe em cores garridas?

Podemos encontrar um conto onde se manifesta a temática do racismo sem este ser mencionado expressamente. Há um outro sobre as desilusões amorosas onde não se menciona este facto, o leitor terá que o subentender, às vezes poderá subentender outro tipo de desilusão. Há um sobre as dificuldades na vida expresso através do exemplo do ensino. Há outro que pergunta, no final, se mesmo com as dificuldades que passámos, não tivemos sorte com a pandemia (pergunta, sem perguntar, cada um interpreta à sua maneira). Também se questiona as ideias pré concebidas em dois ou três textos. Tudo isto sem o mencionar expressamente, não cansando o leitor, deixando-o assim usufruir dos textos só pelo prazer de ler.

Nelson Vladimiro

Anunciante desde Jun. 2022
Verificado com
Lisboa
Último acesso há 1 dia
Tempo de resposta inferior a 22 minutos