Trilogia Rosa-Crucificação 3 Livros Completa 1Edi

 12 Mai, 16:28

30 €

Trilogia Rosa-Crucificação 3 Livros Completa 1Edi

12 Mai, 16:28

30 €

  • VendaTipo
  • PortoConcelho
  • ParanhosFreguesia
  • 31511825Id do anúncio

Títulos da Trilogia Rosa-Crucificação (The Rosy Crucifixion) :
Livro 1: Sexus 538 páginas
Livro 2: Plexus 354 páginas
Livro 3: Nexus 318 páginas
Tema: Ficção
Capa: mole.
Edição livros do Brasil
Capa: 2 primeiros Manuel Dias
O terceiro A. Pedro
Colecção: Clássicos do erotismo
Ano: 1975 1 edição
Exemplares em bom estado de conservação.
Entrego em mãos na zona do Porto ou envio à cobrança via CTT (com portes a cargo do comprador)

Sinopse:
Henry Miller escrevia a fim de se abrir para si mesmo, desejando que os outros o fizessem também. Diz isso explicitamente em Sexus, o primeiro livro da sua trilogia completada com os romances Plexus e Nexus , que ele chamou de A crucificação encarnada. Deixava-se guiar pelo seu inconsciente, por saber que só assim alcançaria a verdadeira liberdade. O resultado desse procedimento foi uma ficção que subverte todas as convenções literárias e pode ser considerada uma auto-ficção.

«Terá sido numa quinta-feira à noite. Ele, a caminho dos trinta e três anos, funcionário numa empresa telegráfica e friamente casado, conheceu-a no salão de baile. De um momento para o outro, estava arrebatado de paixão e com a certeza de que uma nova vida se abria à sua frente: bastava que tivesse coragem para arriscar tudo.

"Sexus" é com efeito uma história de risco, de provocação, uma prosa vibrante, plena de carne e espírito, um relato de aventuras sexuais e literárias que se estenderão de Brooklyn até à boémia Paris dos anos de 1930.

Primeiro volume da trilogia «Rosa-Crucificação, autobiografia ficcionada cuja escrita Henry Miller manteve ao longo de mais de uma década, este título foi publicado em França em 1949 e durante anos circulou clandestinamente por grande parte do mundo, onde foi proibido por imoralidade.
Um texto magistral de um autor que é um agitador de consciências, «um indisciplinador desejoso de que o homem se descubra finalmente, sem reticências e sem pactuações com o indiferentismo meramente formal.


Bruno Meirinho

Anunciante desde Ago. 2019
Porto